O Novo Inconsciente

» por em 08/01/2013 em física quântica, Neurociência | 40 comentários

O NOVO INCONSCIENTE

 

  IMG_0624

Vivemos em um momento histórico com relação ao conhecimento do inconsciente. Freud ficaria feliz em estar entre nós. Avanços na neurociência fornecem uma luz extra na questão que sempre intrigou filósofos, dramaturgos, poetas e até mesmo cientistas. O que é o  Inconsciente? O termo inconsciente ainda é muito mal compreendido. Observa-se um paradoxo atualmente, ou seja, a “meta” teoria de Freud é a mais divulgada e estudada no meio acadêmico da área de psicologia e é a menos estudada cientificamente com suas ferramentas de investigação. A “meta” teoria do inconsciente dinâmico de Freud não pode ser verificada cientificamente. Freud não descobriu o inconsciente, talvez o seu grande mérito tenha sido em organizá-lo em uma “metateoria” e sistematizar os aspectos clínicos  dos transtornos psíquicos. Vale ressaltar que o “espírito da época” de Freud era a invenção da máquina a vapor e seus fluidos. O inconsciente dinâmico de sua teoria valeu-se da metáfora dos fluidos e mecanismos das descobertas daquele tempo. Hoje a metáfora é outra e a física quântica complementa aspectos que permitem uma avaliação científica do inconsciente.

IMG_0622

Antes de Freud, muitos já haviam estudado o inconsciente. A noção de que forças subterrâneas, as quais não temos acesso consciente, influenciam o comportamento não é de hoje. Muitos filósofos, dramaturgos e poetas levantaram hipóteses variadas e interessantes. A teoria do inconsciente dinâmico de Freud não podia ser verificável, uma condição essencial considerada pela ciência. Hoje, com vários laboratórios de neurociência, sabe-se que a maior parte do processamento do cérebro é inconsciente e apenas uma pequena parte resumida, editada e nada fidedigna é acessada pelo processamento consciente. O processamento inconsciente é dado pelos milhares e milhares de conexões neurais existentes e possíveis. Cada neurônio é capaz de estabelecer uma comunicação com outros 5000 (cinco mil) neurônios. Temos cerca de 100 bilhões de neurônios no cérebro. O número possível de combinações desses 100 bilhões de neurônios é de 10 elevado a milionésima potência, ou seja, é o número 1 (um) seguido de um milhão de zeros. Um número muito maior que a quantidade de estrelas do Universo manifesto. Temos muitas possibilidades de escolhas de redes neurais para representar as diversas capacidades e diversas potencialidades de expressão da consciência.

 20120618-160129.jpg

Cabe ressaltar aqui que a consciência – base de tudo – é capaz de escolher o processamento consciente e o processamento inconsciente. Exatamente isso! A criatividade quântica – capacidade da consciência em evoluir – impulsiona a mesma em direção à complexidade. Não podemos confundir o termo consciência – base de tudo – com o processamento consciente. O processamento consciente está incorporado dentro da consciência. Admitimos ser a consciência a essência primeira de tudo. Aquela que é capaz de escolher dentre as possibilidades fornecidas pela matéria. Lembrem-se que a matéria comporta-se como onda de possibilidade e por si só não é capaz de criar a realidade. Há a necessidade de existir algo fora da jurisdição da mecânica quântica para colapsar a função de onda da matéria e esse algo é a consciência.

IMG_0625

 

IMG_0627

 

 

Vamos utilizar uma metáfora bem difundida hoje em dia para compreender as dimensões do processamento consciente e do processamento inconsciente. Se considerarmos a mente como sendo um iceberg, a mente consciente e seu processamento representa a superfície fora da água desse iceberg. Capacidade de raciocínio, percepção, resolver problemas de lógica, ler um livro é a capacidade do processamento consciente. Esse processamento consciente é cerca de 200 mil vezes menor que o processamento inconsciente representado pelo restante submerso do iceberg como todos os nossos medos, sistema de crenças, desejos, recalcamentos, autoenganos, autosabotagens, automatismo, etc. Uma enorme capacidade de processar informações, cerca de 11 milhões de bits a cada segundo – abaixo da percepção consciente – capaz de coordenar e influenciar o comportamento, quando comparado com os 50 bits de informações por segundo do processamento consciente. Percebemos o mundo conforme nossos “filtros”. Raciocinamos e decidimos conforme esse processamento inconsciente. São essas as forças subterraneas que coordenam o comportamento. Precisamos e necessitamos conhecê-lo. O processamento inconsciente à luz da neurociência é o novo inconsciente.

IMG_0623

O cérebro é um importante ponto nodal e estamos compreendendo aspectos que compõe a sua realidade. A física quântica fornece novas metáforas e permite integrar dentro da consciência plena esses aspectos agora desvendados pela neurociência. É lamentável que o grande objetivo da ciência materialista ainda permaneça ancorado na causação ascendente, isto é, tenta-se explicar a consciência como um subproduto ou epifenômeno do funcionamento do cérebro.Mas isso não tem problema. Estamos na dinâmica da mudança e aos poucos será vivenciado e estudado de uma forma diferente e haverá uma integração entre ciência e espiritualidade. A consciência escolhe o objeto a ser medido simultaneamente com suas redes neurais ou circuitos neurais que o representam. É a mensuração quântica no cérebro. É a medida de percepção do estímulo que envolve os objetos externos. É a cisão entre sujeito e objeto verificada a cada instante, a cada piscar de olhos. É a maneira como nós percebemos o mundo. O estímulo percorre um aparato de percepção capaz de processar do micro ao macro, isto é, as onda de possibilidades quânticas tornam-se mais lentas a medida que o fenômeno da percepção do estímulo percorre o aparato de percepção das partículas elementares ao átomo e desse às moléculas. Nesse processo, eventos quânticos com certeza estão envolvidos. Observamos e constatamos uma separação entre o sujeito que percebe e o objeto percebido. No processamento consciente ocorre a cisão sujeito e objeto. No processamento inconsciente não há cisão sujeito e objeto, mas há processamento. Isso agora corroborado por uma infinidade de laboratórios de neurociência. É dessa maneira que criamos a realidade, com cerca de 10 milhões de bits de informações por segundo fornecido somente pela visão. A visão é a grande representante do processamento inconsciente.

IMG_0628

A quantidade de bits de informações que chegam até o cérebro proveniente do corpo é enorme. Como vimos anteriormente são cerda de 11 milhões de bits por segundo. A mente consciente não conseguiria tomar decisões se fosse necessário o processamento consciente simultâneo dessa gama de informações que chegam ao cérebro. O processamento inconsciente é necessário e foi conquistado durante os evos da evolução da consciência. Nele está talvez o segredo que deveremos desvendar para o autoconhecimento. Nele está talvez o segredo que teremos que aceitar nos processos de autoengano. Nele está o segredo das nossas mentiras. Nele está o segredo da nossa honestidade e da desonestidade. Nele está o segredo dos sentimentos e das emoções. Nele está o segredo da representação que fazemos dos aspectos sutis de cada um de nós. Talvez, daqui a alguns anos, não seja mais segredo que conheceremos nossas projeções durante os relacionamentos amorosos e não amorosos. Durante as diversas experiências que compartilhamos durante as 24 horas do dia. Entenderemos a sabotagem que realizamos na percepção consciente baseada no sistema de crenças inconsciente. Entenderemos e propiciaremos uma terapêutica adequada baseada nesses conhecimentos emergentes. Criaremos uma nova realidade. Uma realidade mais feliz. Uma realidade mais sábia. Uma realidade mais repleta de gratidão. Uma realidade onde o perdão já está no passado, ou seja, já perdoamos e no final constatamos que mal nenhum ocorreu. Uma realidade onde haja o amor incondicional. Uma realidade onde aprendemos a criar os circuitos de neurônios que representam esses aspectos da consciência que ainda ainda não são instintivos.

Esse ano de 2013 será um ano próspero. Daremos continuidade a vários artigos integrando ciência e espiritualidade. Saberemos que o conhecimento verdadeiro é o autoconhecimento.

Abraços fraternos

Milton

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CALLEGARO, Marco Montarroyos. O Novo Inconsciente: como a terapia cognitiva e as neurociências revolucionaram o modelo do processamento mental. Porto Alegre: Artmed, 2011.

GOSWAMI, Amit. Evolução criativa das espécies: uma resposta da nova ciência para as limitações da teoria de Darwin. São Paulo: Aleph, 2009.

HANSON, Rick. O Cérebro de Buda: Neurociência prática para a felicidade. São Paulo: Editora Alaúde, 2012.

40 Comentários

  1. Excelente post sobre o inconsciente!!!!

  2. Caro amigo, Obrigado por compartilhar comigo seu trabalho
    muito esclarecedor, vai ser de muita valia na clinica em que
    palestro com dependentes quimicos e claro;para mim tambm.Eu no sou
    professora de nada mas tento passar para frente da melhor forma
    possivel aquilo que aprendo e pesquiso para os internos e me sinto
    feliz por isso. No esquecerei de dizer a eles que peguei carona do
    seu trabalho srsrsrsrsr . Obrigado. Abrao fraternoAlba Maria. Date:
    Wed, 9 Jan 2013 00:35:13 +0000 To: albasiqueira@live.com

  3. Porque a consciência é tudo,se temos consciência de que
    somos tão limitados? Para que exista universo ou mundo quântico é
    preciso que se tenha consciência disto, mas a consciência disto é
    limitada, não permite alegar que somente a consciência tem
    influência nos fenômenos quânticos e, por conseqüência, nos
    fenômenos palpáveis, do dia-a-dia, porque essa idéia é uma
    distorção do Princípio da Incerteza, de Heisenberg que é
    probabilístico, pois a coisa não é realmente assim. Não é a
    presença do observador por si só que causa a alteração do
    comportamento do experimento para se obter maior realidade , mas o
    método físico de observação, que precisa inevitavelmente interagir
    para extrair dados,ou seja, não haveria como observar (TER A
    CONSCIÊNCIA)aproximada do comportamento de um elétron, exceto
    fazendo alguma coisa (como a luz) rebater nele ou pôr um anteparo
    para ele como no experimento da fenda dupla, algo que fatalmente
    altera seu comportamento quântico. Se há uma relação que os físicos
    propõem, é de que a consciência é ‘apenas’ uma reação bioquímica,
    naturalmente composta por átomos ainda não desvendada pela Química
    Quântica. Assim, a realidade que temos existe dependentemente da
    consciência existir até certo ponto,isto é probabilísticamente, por
    isso não é uma realidade totalmente passível de vir a ser
    consciente ou que possa totalmente ser tornado consciente através
    de experimentos, muito menos por idéias tiradas de outras idéias
    para justificar afirmações falseáveis. A consciência dará sempre
    uma aproximação ou no máximo,uma mensuração quântica biológica do
    mundo quântico a que chamamos de realidade, pois haverá sempre o
    problema de os instrumentos usados conforme a consciência
    distorcerem o resultado observado, só restando probabilidades. É
    claro que para quem confunde PROBABILIDADES tratando-as como como
    possibilidades,não aceita isto, chamando isto até de “achismos”a
    dura realidade probabilística do universo.Não tem paciência em
    esperar que somente o aperfeiçoamento maior dos instrumentos de
    observação e calculando probabilidades poderá revelar mais
    possibilidades do mundo quântico e novas idéias e teorias sobre ele
    com menos distorções levando a transcendências e crenças menos
    falseáveis, se este é o caminho que devemos seguir para
    transcender-mos. FONTE:
    http://ciencia-vela.blogspot.com.br/2006/12/distores-
    qunticas.html

    • Caro Ulisses,
      Se você acredita na evolução, essa é a resposta para sua pergunta. A consciência é tudo, porém está em um processo criativo de evolução. Nesse processo observa-se além do aumento da complexidade da forma, um aumento da capacidade de expressão da consciência. Veja a última conquista evolutiva do ser humano: o córtex pré-frontal. Saimos de seres uniceleulares para a multicelularidade. Essa flecha do tempo é implacável. Somos limitados? Sim, e muito. Porém, e trata-se de um grande porém, a evoução não terminou ainda. Muito menos findou no ser humano. Estamos em um processo criativo dinâmico de evolução. Que nós fazemos escolhas, isso é ponto pacífico. Escolhemos baseados nos filtros que possuimos e conquistamos nessa evolução. O processamento inconsciente é poderoso e determina, cooordena, edita o que é percebido no processamento consciente. A consciência, essência, escolhe essas possibilidades. Aliás, as possibilidades são fornecidas pela probabilidade. A física quântica é maravilhosa. Não canso de estudá-la e tentar compreendê-la. Vejo que você se sente muito incomodado com essas idéias que coloco aqui no blog. Porém é fruto de muito estudo e reflexão. Corroborado por muitos cientistas e pesquisadores e, principalmente, experimentação. Eu trabalho com isso. Sou médico cardiologista e eletrofisiologista. Entendo as doenças e, agora, tendo entender os doentes. Questiono muito a causalidade das doenças e, por essas e outras, resolvi criar esse blog para discutir tais idéias. Tenho difundido-as e com sucesso. Entendo, e isso eu já disse anteriormente em outros comentários, as suas dúvidas e os seus questionamentos. Sei e estou conscio das adversidades e argumentação. Isso é o mundo quântico. Ele não existe sem o observador. Nesse processo de observação ele cria a realidade, inclusive dos experimentos e capacitação desses experimentos. Isso é quântico. Você pode continuar a comentar nesse blog, porém procure comentar no post atendo-se ao conteúdo do mesmo. Para difundir outras idéia contrárias, crie um blog e mande o link que publico aqui com o maior prazer.
      Abraços fraternos.
      Milton

      • Tenho lido imenso sobre fisica quantica. Mas encontro-me sempre num dilema terrivel… Existe ou não uma realidade fora do nosso cérebro? Tenho ficado confusa porque ao que parece “nada existe, até ser observado” então como é que se formam as memórias os conceitos, as próprias emoções, se não existe nada lá fora. Como é que posso criar a minha realidade quando estou a ter um acidente de automóvel? Anda muita coisa escrita por ai, que gera imensa confusão. Mas gostei muito do que acabei de ler no seu blog e sei que talvez me possa ajudar. E mais … Será que pudemos mesmo fazer as nossas escolhas? Coloco esta questão porque por vezes penso que existem tantos fatores que determinam essa escolha (Mundo exterior) como, e num caso extremo: matar ou deixar-se matar” . Tenho talvez visitados os sites errados, mas comecei a entrar neste mundo quando o li o livro ” Tecido do Cosmos” de Brian Greene, ficando abismada com assuntos como: dualidade da matéria, a não localidade do universo,.. lembro-me de ter concluido após a leitura do livro que afinal tudo era magia . E lá foi Carl Sagan o meu autor preferido arrumado numa das prateleiras do meu cérebro. Espera que responda, por favor, as estas minhas humildes questões… Obrigado

        • Querida Cristina,
          Suas perguntas são importantes e toca em um ponto que merece atenção. As ideias, hoje, estão mais amadurecidas. Quando a física quântica afirma que toda a matéria são ondas de possibilidades, isto esta correto. O grande problema talvez seja que ouve uma separação entre o mundo exterior e o mundo interior. A materia que constitui ambos os dois mundos são as mesmas. Por que então o mundo externo parece grosseiro e rígido e o mundo interno sutil e volátil? O fenômeno, o enigma da fisica quantica é esse? Quem ou o que é capaz de transformar as possibilidades em realidade? Se a fisica quantica afirma apenas e calcula as possibilidades e probabilidades, o que, então, cria a realidade? Pois bem, estamos afirmando que seja a consciência quem colapsa a funcão de onda da materia. A consciência escolhe dentre as possibilidades da materia. A materia pode apresentar varias gradações por assim dizer, a medida que a onda de possibilidade vai vencendo o micro em direção ao macro, ocorre uma lentificação dessa onda e no mundo corpóreo, ou grosseiro há a rigidez e a solidez compartilhada em cada observação. Tem que ser dessa forma. Caso contrario nao conseguiriamos compartilhar as experiência e nem aprender e conhecer pela aquisição da memória. O bonito disso tudo é que o mundo interno dos pensamentos e sentimentos tambem é “observado” pela consciência (essencia do SER). Pensamento, sentimento tambem é feito de alguma materia, porém as ondas de possibilidades guardam o comportamento Quantico e nao conseguimos compartilhar o mesmo pensamento dando-nos a impressão de existir um mundo interno e particular separado do mundo externo, lá fora. A realidade externa existir e pode ser compartilhada. Os acidentes, as fatalidades, os assassinatos e toda a negatividade humana existe e não pode ser negada ou negligenciada. Por isso buscamos uma transformação do SER, para que as escolhas saiam do campo do condicionamento e passem a ocorrer dentro de uma liberdade real. Determinismo e livre arbítrio sempre farão parte de uma dualidade enquanto as escolhas não ocorram dentro de um nível mais elevado de consciência.
          O assunto é palpitante e gosto muito de conversar e escrever sobre isso. Espero que voce encontre outras respostas na sua leitura e agora disponibilizou alguns vídeos onde explico um pouco mais desse universo Quantico.
          Abraços e sinta-se a vontade para qualquer questionamento complementar.
          Milton

  4. Caro Ulisses,

    Veja meu amigo que há muitas controvérsias no que se refere a esse assunto do mundo sutil.
    Sou cientista médico e trabalho com a ciência materialista também.
    A matéria é a causa de tudo. Tudo é interação material e blá blá blá.
    Conheço Amit Goswami pessoalmente. É um pessoa digna de ser conhecida por todos. Teve um insight poderoso e vem seguindo uma linha que admite ser a consciência a base de tudo.
    Essas pessoas que escrevem contrários as suas ideias fazem uma crítica apenas pela crítica e não apresentam uma solução.
    Não somos possuidores da verdade absoluta, creio que nínguem o é, mas estamos sempre em busca da verdade. Ciência e Espiritualidade buscam a verdade. Cada um a seu modo. A ciência busca a verdade com seus critérios e a Espiritualidade também.
    Hoje em dia, se realizo uma pseudociência ou uma ciência alternativa o faço com um objetivo claro: Mudar paradigmas. Paradigma materialista que nos trouxe ao ponto do caos. Proponho mudanças não externa, mudanças internas. Essa é muito mais difícil.
    A ciência evolui também. A verdade de hoje será incluida em uma verdade maior amanhã. E assim por diante.
    Temos um objetivo claro: integração do interno com o externo. Integração do sutil com o grosseiro. Simplesmente integração.
    Pseudociência, ciência alternativa, seja qual for o nome que você dê ela é real.
    Caro Ulisses, sou médico cardiologista, eletrofisiologista, estudioso da física quântica com físicos renomados e publico minhas ideias nesse blog. E você? Quem é você? Vou arriscar dizer que pelas suas características você é um advogado.
    Abraços fraternos
    Milton

  5. Gratidão por você existir e publicar seus maravilhosos textos. Gratidão, Paz e Luz! Daniela Medina

  6. Excelente sua exposição sobre a consciência!!! Sou medico e sempre tive comigo que, em uma anamese , por melhor que seja, só consigo captar e entender uma parte infima do problema! O “grosso” está camuflado e nem o próprio paciente , na maioria, consegue acessa-lo! Tenho baseado meus estudos em como conseguir que o paciente consiga! E como é difícil!!! Quero aproveitar e perguntar: O que você acha da Homeopatia?
    Obrigado e forte abraço !!!

    • Querido Rogério, grato pelo seu comentário.
      Acredito muito na homeopatia e também em outras técnicas complementares. A idéia da homeopatia merece ainda uma maior compreensão. Mas ela está ai e muito bem estabelecida.
      Abraços fraternos.

  7. Caro Milton,

    realmente essas ” forças subterrâneas costumam coordenar nossos comportamentos”.
    E que bom seria para todos nós seres humanos se cada um se esforçasse para penetrar , através do autoconhecimento, sem julgamentos, neste imenso Inconsciente. Será necessário muita coragem , muita perseverança.

    Mas uma vez recorro ao Código Cósmico de Padrão de Conduta, o Evangelho de Deus, nos trazido pelo Mestre Jesus ; ” Conhece-te a ti mesmo ” , ” Conhecereis a verdade e ela vos libertará “.

    Abraços e muita paz !

    Sérgio.

    • Caro Sergio Siqueira,
      Grato pelo comentário e participação.
      Esse código cósmico de padrão de conduta é o que temos.
      Coragem e perseverança.
      Abraços fraternos.

  8. PS.: O Arquétipo de JUNG não pode ser visto:
    “Nenhum arquétipo pode ser reduzido a uma simples fórmula. Trata-se de um recipiente que nunca podemos esvaziar, nem encher. Ele existe em si apenas potencialmente e quando toma forma em alguma matéria, já não é mais o que era antes. Persiste através dos milênios e sempre exige novas interpretações. Os arquétipos são os elementos inabaláveis do inconsciente, mas mudam constantemente de forma.”
    É como tudo na quântica: O ELÉTRON NÃO PODE SER VISTO E QUANDO É MEDIDO SÓ APRESENTA PARTE DO QUE É.
    Insight: ENTÃO OS ELÉTRONS E OS CONTEÚDOS MENTAIS TÊM A MESMA NATUREZA???

    • Grato pela contribuição e comentário.
      Exatamente isso! Esse insight do elétron é isso!!!!
      Nunca vimos um elétron, apenas seus rastros. Os arquétipos de Jung não podem ser vistos, gostei!! O elétron quando medido só apresenta parte do que é! É isso!
      Grato pela colaboração.
      Se possível, identifique-se indigobancodetopicos!!
      Abraços fraternos.

  9. Eu sou Assis Melo Neto
    No fim do ano passado contribuí aqui
    Estou trabalhando numa tese chamada Visão Quântica do mundo
    Tento entender essa parte imaterial relacional do elétron que se conecta instantaneamente com tudo e demonstrar que
    VIDA É MATÉRIA TENTANDO SE TORNAR IDEIA
    Então viemos da matéria, estamos indo pra IDEIA, e esse é o sentido da EVOLUÇÃO*
    *pelo menos longe do ocidente.

    • Caro Assis,
      Mais uma vez grato pela sua contribuição. Mantenha-nos informado sobre sua tese.
      Abraços fraternos

      • ah, só mais uma coisa:
        se o elétron é parte matéria
        deve ser parte ideia
        natureza matemática abstrata,
        não gasto de energia,
        salto quântico, não causalidade,
        dois ou mais “corpos” podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo,
        energia “emprestada” do futuro
        Isso tudo é ideal
        NÃO MATERIAL.

        • Isso é Quantico, amigo Assis.
          Prossiga adiante em suas pesquisas.
          Nós só teremos a agradecer.
          Abraços.

  10. olha ai uma fonte
    ibtopicos.wordpress.com
    postei um link do psych-k em 1. Ferramentas psicológicas
    abraço do cara da aura violeta

    • Você acha que já viu coisa estranha!?
      Na minha tese existem “seres” em níveis ontológicos intermediários entre ser e não ser,
      O ser é a matéria mensurável, e o não ser é a potencialidade infinita do ponto ZERO, é a IDEIA em estado PURO (big bang, criação de partículas -> tudo vindo do NADA)
      e tem mais
      os seres vivos descendem dos outros SISTEMAS CÍCLICOS da Natureza
      ou seja, nós evoluimos dos rios e furacões.
      ////
      elétron: 1/2 matéria e 1/2 IDEIA (50% de chance de se materializar)
      quark: 1/3 matéria e 2/3 IDEIA (3 quarks = 1 próton)

      • Só pra concluir vou mandar 2 trechos:

        ? O principio da Incerteza ocorre porque o fenômeno medido está em um nível intermediário entre existir e não existir, entre matéria e Nada. Só se pode medir uma paste porque só existe uma parte. Sobre qual parte existe, depende da medida efetuada. O objeto quântico é parte material: qualquer parte.

        ? A dualidade onda-partícula não existe. O que existem são níveis intermediários entre matéria e Nada (ondas de probabilidade), que podem se materializar ou não, dependendo da medida. A ontologia precisa destas categorias intermediaria para que não haja termos discrepantes, tais como “partícula não material” ou “coexiste com ele mesmo”.

        ps.: é baseada na filosofia oriental,
        no PRINCÍPIO DA MUDANÇA,
        não no princípio da identidade ocidental.

        • Na sua opinião, baseado nos estudos que você tem desenvolvido, como fica o papel da consciência? Quem é capaz de provocar o colapso da função de onda dos objetos quânticos? Quem provoca a realidade?
          Abraços.

  11. O NÍVEL DE CONSCIÊNCIA é o grau de imaterialidade, de não ser, de IDEALIDADE, grau de complexidade do Sistema, que não é ser, é parte, pois todo Sistema é aberto, e muda, e interage com outros Sistemas se tornando um pouco deles.///
    O colapso tem a ver com a realidade, com a medição da parte material, realizada pela matéria mesmo, como por exemplo pelos detectores de elétrons. Eu acho que Goswami atribui um papel um pouco vulgar a consciência, a rebaixando a matéria (desculpa pela sinceridade).
    -> A matéria é uma vibração tão grave que nem vibra.

    • vou mandar + um trecho pq esse blog tem me ajudado:
      ? No ato da medida, localizar o “objeto” quântico superficializa parte de sua informação. A informação/probabilidade de um fenômeno profundo se torna em parte a precisão de um fenômeno de superfície, pois este só existe em parte. No experimento da fenda dupla, com uma fenda aberta ou com duas fendas com detectores de elétrons, este se porta como partícula: o elétron foi localizado (no segundo caso, o acaso responde por qual das fendas o elétron é detectado). Não se detecta uma probabilidade, se detecta matéria. Com duas fendas abertas e sem detectores o elétron se porta como onda.

    • Pensar que o colapso da função de onda possa ser provocada pelos próprios detectores é pensar que possibilidade pode produzir realidade. Tem que ter alguem para observar o resultado. Possibilidade interagindo com possibilidade só faz aumentar ainda mais as possibilidades. Jamais aparelho algum conseguirá produzir a realidade por ser também possibilidade.
      Mas respeito sua opinião. Não acredito que eu esteja com a verdade. Eu e Amit. Mas satisfaz as minhas pesquisas.
      Abraços fraternos.

      • Na vardade eu acredito que o ELÉTRON, p ex, possui parte material (no caso matede)…
        o detector é só um monte de matéria (não acredito que seja probabilidade/possibilidade),
        e esse monte de matéria detecta algo quântico que tem parte material em potencia, assim como um sino “detecta” o martelo e soa bem alto, e sem detectores ele SEMPRE vai ser ONDA (de PROBABILIDADE). por isso acredito que a função da consciência seja mais NOBRE.
        -> Quem parar pra pensar vai descobrir que PROBABILIDADE é algo intermediário ENTRE MATÉRIA e NADA.
        PS.: Com 2 fendas abertas e sem detectores, como a consciência escolhe se o elétron vai passar pela esquerda ou pela direita??? Não dá!!!
        ps2.: estou aqui graças a pessoas como goswami e respeito muito.

        • Com duas fendas abertas, o életron continua a se comportar como onda de possibilidade. Não há consciência para observar e provocar o colapso da função de onda e particularizar a matéria. Quando nós queremos “saber” por qual fenda o eletron está passando (direita ou esquerda) somente assim, provocamos o colapso da função de onda e o elétron torna-se partícula real ( A realidade possui dois domínios: possibilidade e fato manifesto).
          Qual função seria mais nobre que a capacidade de provocar a realidade para ser vivenciada?
          A consciência é a essência fora da jurisdição da mecânica quântica capaz de colapsar a função de onda, isto é, transformar possibilidade em realidade pelo poder de observação, isto é, pela presença dessa essência. O “eu” de cada experiência. O sujeito sempre presente testemunhando tudo.
          Abraços.

  12. ->Se colocar dois detectores de elétrons ela se comporta como partícula e passa por um lado ou por outro.
    ->A probabilidade não é completamente real, apenas o fato manifesto. A PROBABILIDADE PODE SE TORNAR REAL, ALIÁS ESSA É SUA DEFINIÇÃO.

    • Exatamente! Todas as tentativas de localizar o elétron no experimento da fenda dupla, posicionando detectores antes e depois da fenda elimina o padrão de interferência de onda. Esta experiência da fenda dupla é intrigante!
      Abraços.

      • ENTÃO ELE DETECTA O ELÉTRON E ELE SE TORNA MATÉRIA, SIMPLES.
        abraços

        • A observação detecta o elétron e transforma possibilidade em matéria. Simples e Complexo assim! Os detectores tambem são matéria, portanto possibilidade até serem observados. Abraços.

  13. vc parte do principio que algo material é possibilidade até ser visto
    eu acho que é só um monte de matéria inerte e que a possibilidade já tem algo de IDEAL
    vejamos pelo lado bom
    UM DE NÓS DOIS TEM QUE ESTÁ CERTO hehehe

  14. Como a consciência consegue entrar em sintonia com a matéria, se a matéria não vibra?
    Você concorda que o movimento da Vida vai da matéria pra Ideia?

    • Acredito que você esteja enganado quando afirma que a matéria não vibra. A matéria é vibração. Das partículas elementares até corpos massivos há vibração. As ondas de possibilidades vão se tornando cada vez mais lenta a medida que vamos caminhando do micro para o macro. A vida flui da idéia para a matéria também. A via é de mão dupla!
      Abraços.

  15. I carry out enjoy how we have presented this kind of situation plus it really really does present me plenty of fodder regarding thought. Nonetheless, through what We have seen, I actually trust while other comments gain that women and men stay in point and do not embark on the tirade regarding some other news du jour. Anyway, thank you with this fantastic point and even though I usually do not agree by using it in totality, I reverence your point of view.

  16. Caro Ulisses,
    Ainda ficamos sem a sua identificação. Quando conhecemos as pessoas fica mais fácil o entendimento entre elas. Aguardo a sua identificação.
    Grato pelos seus comentários e também pelos elogios embutidos na crítica.
    Respeito muito os físicos práticos que ganham a sua subsistência com o resultado do seu trabalho diário. Algumas vezes sou repetitivo de forma insistente porque as dúvidas também o são. Há físicos que são pagos para produzirem tecnologia com o conhecimento da mecanica quântica. Produzem laser, controle remoto, sensor de presença, computadores e outros aparatos tecnologicos que são importantes e outros nem tanto. Gosto dos físicos teóricos, no campo das idéias. Esses são desafiadores. Einstein foi um dos melhores e contribuiu muito com seus diálogos e exercícios mentais que colocava para seus colegas. Assim a física quântica cresceu e cresceu. Há alguns físicos ainda que esquecem o campo teórico das idéias e se refugiam em seu trabalho diuturno. Se calam quanto aos aspectos fundamentais e simplesmente calculam. A mecanica quântica é um excelente instrumento de cálculo probabilístico. A física quântica é muito mais que isso.
    Segundo o ditado popular: De médico e louco todo mundo tem um pouco, adapto a minha realidade dizendo que de físico e louco todo médico tem um pouco. As minhas aventuras quânticas são bem embasadas.
    Não criei esse blog para receber elogios e, sim, expor as idéias que fogem do estabeleshiment cientifico atual enraizado no materialismo.
    O ativismo quântico é um movimento mundial e temos muitos representantes aqui no Brasil. Pessoas sérias e comprometidas. Sabemos o quanto essas idéias incomodam as pessoas. Temos enfrentado discussões e discussões. Não poderia ser diferente.
    A mudança de paradigma assim o exige.
    Bom Ulisses, esse blog estará sempre a sua disposição para que você tenha oportunidade de expor as suas idéias também, mesmo contrárias as que aqui você encontra.
    Esse promete ser um ano profícuo e próspero em idéias.
    Mais uma vez, grato por seus elogios embutidos em sua crítica e tenha certeza que reconheço os elogios como uma forma de cobrança, então eles não são tão bons assim. Você está certo em não se expor em um blog sob o risco de receber elogios. Eles te cobram muito mais. É aquilo que eu deveria ser e ainda não sou. Mas resolvi me expor mesmo assim. Assumindo o risco do elogio e da crítica.
    Abraços fraternos
    PS: Aguardo sua identificação.

  17. Respeito o trabalho da sua “tese”: Natureza sugestionável do Homem”, das cavernas a era quântica. Crendices, coerência, etc.
    Este blog com certeza vai alimentar a sua tese.De alguma forma estou contribuindo. Trabalho com crenças e vejo que você tem as suas. O seu comportamento denuncia suas crenças. Você desenvolve seus trabalhos e suas pesquisas baseado naquilo que você acredita ser verdade. É o seu sistema de crenças, através do processamento inconsciente, que alimenta o seu processamento consciente. Leia o post sobre o Novo Inconsciente e também sobre Física Quântica e O Novo Inconsciente que você entenderá esses mecanismos. Esses conhecimentos já ultrapassaram a fase de falseamento e foi verificável. Aliás, saiba que crenças e conhecimento tem uma profunda coligação. O conhecimento adquirido pelo hemisfério esquerdo converte-se em crenças. Muitos conhecimentos que a ciência assumiu como verdade verdadeira foram constatadas posteriormente como crenças falsas. Esse mecanismo de interpretação consciente é característica do processamento inconsciente. Temos um interprete! Esse intérprete racionaliza com alguns mecanismos de autoengano inconsciente, tornando uma informação aparentemente verdadeira, ou seja, uma verdade parcial.
    Você afirma: “O seu reducionismo de tudo à consciência não lhe deixa notar que a tecnologia vinda da Física Quantica prova um universo além dessa consciência reducionista”. Caro Ulisses, A tecnologia advinda da física quântica foi produzida por consciências. A tecnologia é fruto da capacidade da consciência em produzi-la e dessa forma compreender o Universo e não o contrário. É isso!
    Outro comentário seu: “As ondas de contato com o mundo probabilístico fazem da tecnologia moderna a forma de interação (colapso) para um controle do universo quãntico probabilistico cada vez maior, conforme a ciência evolui , o que não é possível a uma consciência redutora a uma só realidade biológica,onde há envelhecimento, doenças, morte ao invés das infinitas probabilidades de possibilidades de melhorar isto pelo controle maior do mundo quântico,colapsando as soluções probabilísticas desses problemas biológicos através do uso probabilístico de ondas para posssibilidades probabilísticas.” Caro Ulisses, além de ser um raciocínio confuso, é difícil acreditar que um aparato tecnológico seja capaz de provocar o colapso da função de onda da matéria. Interação de possibilidade só aumentam as possibilidades. Não haveria realidade sem a consciência para observar. O Universo é participativo acredite você ou não. Isso está longe de ser um reducionismo. Leia o Post sobre Consciência e Cérebro que lá explico com detalhes a relação entre ciência e sua filosofia que vai desde o Monismo materialista, passando pelo dualismo e chegando na integração do Monismo idealista.
    O restante do seu comentário, apesar do meu esforço em compreendê-lo, ficou muito confuso. As idéias não são intuitivas. Não que estejam erradas, mas apenas confusas. Talvez você tenha que melhorar a forma como você expressa as suas idéias, transformá-las em uma linguagem acessível a todos para que possamos entendê-lo.
    Continue com suas pesquisas sobre crendices, mas tente observar e perceber as suas próprias. Elas diregem o seu comportamento e a própria pesquisa. Tente entender as reais motivações que estão fazendo com que você desenvolva essa tese.
    Apenas mais uma consideração, enquanto não conseguimos desvendar o segredo da imortalidade biológica, prefiro acreditar (crendice ou não) na imortalidade da alma e na possibilidade do retorno para uma nova experiência e prosseguir a evolução da consciência com tecnologias cada vez mais avançadas, porém acompanhada também por uma evolução moral que a saiba utilizar sem destruirmos uns aos outros e o próprio planeta.
    Abraços sempre fraternos e grato por se identificar. Mais um pedido: Não faça suas críticas levando para o lado pessoal. Vamos manter as discussões no campo das idéias. Ambos iremos aproveitar e os leitores também. Grato!
    Milton

  18. O cérebro não consegue se perceber! A consciência, através da mente, consegue se perceber. O cérebro é um objeto. Interações entre objetos resulta apenas em objetos. Interações entre objetos não consegue fazer emergir o sujeito da ação. A interação da consciência (alma, espírito ou qualquer outro nome que você queira dar) com o cérebro gera a autoreferência e surge o sujeito da ação. De onde surge o sujeito da ação de perceber? Será apenas ilusão? Eu sou uma ilusão? Você é uma ilusão? O que existe realmente são apenas objetos? Será que isso é que é real? Prefiro acreditar, e qualquer um acredita naquilo que quer acreditar, na consciência como sendo a base de tudo e em evolução. Isso consegue explicar uma enormidade de paradoxos que a ciência convencional não consegue. Isso traz uma dinâmica de transformação pessoal para que tenhamos todos um planeta melhor, com pessoas melhores. Há um resgate de valores que a matéria não consegue processar. O que importa no final é o respeito a diversidade de opiniões e o não julgamento de sermos os possuidores absolutos da verdade. A verdade está em construção. Há alguns que passam uma nota promissória para a ciência esperando a comprovação de algo que será impossível de ser comprovado. Há outros que estão a frente do seu tempo e propões idéias revolucionarias. Assim é o mundo científico também. Então, vamos adiante! Cada um contribuindo com o seu quinhão!
    Abraços fraternos
    Milton

  19. Querido Ulisses, seja sempre muito bem vindo a esse Blog, seja com idéias de apoio ou idéias contraditórias. Tendo como objetivo a melhora do planeta e transformação da humanidade, mesmo que na diversidade, isso sempre irá nos impulsionar para irmos além. Viva a diversidade e as diferenças! Talvez, eu digo talvez apenas por constatar isso em diversas teorias, que estejamos todos discutindo sobre consciência enfocando um aspecto diferente da mesma essência. Pegando emprestado uma história do elefante e os cegos que o tocavam em regiões diferentes e obtinham impressões diferentes. Aqueles que tocavam a cauda do elefante tinham a impressão de estarem tocando uma corda, aqueles que tocavam a pata do elefante tinham a impressão de estarem diante de um tronco de árvore e assim sucessivamente. Todos estavam tocando o elefante, mas acreditavam apenas naquilo que conseguiam tocar. O mesmo fenômeno aconteceu com a luz. Em determinada época de descobertas cientistas estudavam as ondas ultravioletas, ondas infravermelhas, ondas de raios X, e ondas do espectro visível como sendo entidades separadas e , no final, constatou-se ser todos originados de um mesmo fenômeno: a luz. O que é a Luz? Talvez, há uma enormidade de teorias que abordam a consciência e cada qual esteja observando um dos seus aspectos. Talvez a “verdade” seja singular e todas as versões da “verdade” sejam meras ilusões.
    Realmente na teoria que abordo, o papel do observador é importante, pois acredito que em nós há uma essência capaz de fazer escolhas. Você cita as probabilidades complexas e alguns exemplos, mas isso já é estudado de forma aprofundada nas flutuações quânticas de onde nascem todos as manifestações. A energia do campo das flutuações é incomensurável. Como se “empresta” e “devolve-se” energia de forma dinâmica nesse campo ainda é motivo de estudo e especulações. Quando eu falo que a “energia” é uma abstração matemática é apenas no sentido de buscar uma definição do que vem a ser energia. A energia é real, sem dúvida alguma. Precisamos dela para realizar nossas tarefas básicas e a transformamos em uma maneira de realizar trabalho. Mas toda definição de energia é feita baseada em outros parâmetros: E= m.c2. Nessa fórmula famosa a energia é algo relacionado como sendo o produto da massa pela velocidade da luz ao quadrado. A definição de energia cinética e potencial é a mesma coisa. Energia é capacidade de fazer algo acontecer? Talvez seja uma boa definição. Mas o que é energia? O que são os “pacotes” de energia identificados por Planck e Eisntein nos osciladores e efeito fotoelétrico, respectivamente? Esses pacotes são uma mistura de comportamento ondulatório com comportamento corpuscular. Quando aprofundamos os estudos nesse setor, encontramos uma rede energética fundamental na qual todos estamos “mergulhados”, mas, sinceramente, e de todo o coração, não acredito que a nossa essência (Consciência, espírito, alma e etc) tenha origem na trama incomensurável dessa rede fundamental de energia. Temos acesso a ela, isso é diferente. Mas, de qualquer forma, isso já é um avanço. Segundo o modelo quântico de átomo que possuimos hoje, ele é preenchido por 99,9% de espaço. Esse espaço conecta a todos nós. Todos nós temos espaço que toca todas as coisas. Eis o segredo da interconexão. Esse espaço está longe de ser espaço vazio, não. O espaço quântico é rico em energia, em informação, em probabilidade, em possibilidades. A essência de cada um de nós tem acesso a essa rede. É nisso que acredito! Quando falamos que a consciência é a base de tudo é na tentativa de integração. Epifenômeno não explica alguns paradoxos teóricos. Por isso, no atual estágio do desenvolvimento da ciência, ainda seguirei admitindo ser a consciência (espírito) a base de tudo. Como venho tentando explicar nesse blog que fazemos escolhas ainda baseados em uma consciência imediata. Temos uma consciência latente que precisa ser “desabrochada” nas escolhas além do EGO. Esse é o processo evolutivo! Autodescoberta, mergulho nas sombras, entender o processamento inconsciente, fazer o bem, ser coerente em nossas ações. Em resumo, o que importa são os valores que possuímos.
    Abraços fraternos
    Milton

Enviar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>